11
mai

Obesidade durante a maternidade

edb465868c5c1efd8863c8a237d205df
A gestação é uma fase cercada de tabus e que requer tratamentos específicos para não comprometer a saúde da mãe e do bebê. Em situações nas quais a gestante está acima do peso, há riscos e cuidados característicos, devido à obesidade durante a maternidade, que devem ser monitorados.

Mesmo que o excesso de peso ofereça mais riscos ao feto, por conta da saúde da mãe, com o devido acompanhamento e adoção de alguns hábitos o cenário se torna bem mais favorável. Entenda a seguir alguns dos maiores riscos e como se cuidar!

 

Deficiência nutritiva

Para crescer e desenvolver perfeitamente os tecidos, músculos, ossos… a criança precisa receber uma quantidade e variedade de vitaminas por meio da alimentação da mãe. A carência desses nutrientes pode estar presente em qualquer mulher que não siga uma dieta equilibrada, mas em pessoas com sobrepeso essa tendência é maior devido também a outros fatores.

Segundo estudos, 40% das mamães obesas são carentes em ferro, 24% em ácido fólico e 4% em vitamina B12. A dieta das gestantes deve ser rica e variada, de forma que o feto possa receber todas as vitaminas, nutrientes e sais minerais que necessita para ser formado.

 

Ganho de peso

De acordo com recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), gestante obesas devem ganhar de 5 a 9 quilos durante a maternidade. O aumento excessivo de peso eleva a probabilidade de complicações como nascimento prematuro, hipoglicemia, bebês com excesso de peso, entre outros.

O acompanhamento de um médico e nutricionista é fundamental para a criação de uma dieta equilibrada, visando um ganho de peso adequado e saudável. Quando possível, perder peso antes de engravidar — cerca de 5% a 7% — ajuda a reduzir os riscos.

 

Grupo de risco

Mulheres acima do peso têm maior probabilidade de desenvolver complicações respiratórias durante a gravidez, que podem desencadear riscos ao bebê.

Além disso, casos de obesidade durante a maternidade afetam a produção de leite. Calcula-se que somente 50% das mulheres obesas conseguem manter um aleitamento natural até os seis meses.

Outro fator é o risco da mãe e/ou o bebê desenvolver diabetes durante a gestação. O excesso de gordura no corpo atrapalha no processo de quebra das moléculas de açúcar, o que influência na ação da insulina.

 

Práticas recomendadas:

- Controlar a dieta;
- Buscar auxílio de médicos e nutricionistas;
- Perder um pouco de peso, antes de engravidar, para controlar doenças metabólicas;
- Relaxar mentalmente;
- Praticar atividades físicas de baixo impacto, como hidroginástica

 

Cuidado é essencial

Ao contrário do que as pessoas pensam, nem sempre o excesso de peso de uma pessoa está relacionado a um exagero na alimentação. Fatores hormonais, psicológicos e genéticos também são responsáveis pela obesidade.

E, por isso, todos esses elementos devem ser avaliados a fim de não prejudicar a boa formação do feto. A obesidade durante a maternidade é um fator que eleva a probabilidade de riscos que poderiam se manifestar em qualquer gestação.

Por conta de todos os desafios, o cuidado e a motivação são fundamentais para as mulheres que estão acima do peso e também esperam por um filho. Respeitando as particularidades e controlando os excessos, a gestação será como qualquer outra.

 

Foto: Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *